FIBRA DE VIDRO


 

 FIBRA DE VIDRO - (FIBERGLASS)

À partir do vidro, descoberto acidentalmente no ano 5000A.C., em 1936 foi descoberta a fibra de vidro, também conhecida como "Fiberglass".

Atualmente, a fibra de vidro é utilizada nos mais diversos segmentos da economia, como por exemplo, construção civil, náutica, automotiva, elétrica/eletrónica, eletrodomésticos, anti-corrosão, plásticos reforçados, brinquedos infantis (parques de diversão), decoração e mobiliário, artesanato e produtos de consumo.

Pode-se produzir desde latrinas, banheiras de hidromassagem, caixas dáqua, protetores de ar condicionado, fossas sépticas, antenas parabólicas , caixas de correio, portas, janelas, cortinas, para a área de construção civil e decoração, passando por placas de circuito impresso, isoladores elétricos, passando por vara de pesca, pranchas de surf, caiaques, barcos, piscinas, escorregadores infantis, carcaças para eletrodomésticos, cadeiras, pará-choques automotivos e ainda equipamentos industriais como tanques para áreas de alto grau de corrosão.

A lista não termina aí. Esta é apenas uma pequena amostra das possibilidades de utilização desse material.

Por outro lado, a utilização da fibra de vidro tem crescido significativamente, particularmente nos Estados Unidos e Europa.

Na utilização desse material, é desconhecido um meio de elimina-lo do meio ambiente, após sua vida útil.

A fibra de vidro tem ainda muitas características importantes como por exemplo, isolante elétrico, isolante térmico, resistência ao fogo, alta resistência mecânica e à oxidação, resistência à umidade, baixo custo, peso mínimo.

Quando formulados com plásticos temos os "plásticos reforçados com fibra de vidro", também conhecidos como "compósitos".

processo/formulação

A fibra de vidro esta disponível basicamente em 3 formas:

-"tecido, manta e roving", que podem ser combinadas de modo a se obter o produto final desejado.

Na forma de tecido e manta, são fornecidos em rolos, vendido aos metros, para laminação manual.

Na forma de fibras continuas, conhecido como roving, são usadas para laminação à pistola, fornecido em pacotes.

Para se produzir uma peça, utiliza-se um molde, o negativo do objeto desejado, normalmente fabricado de madeira, alumínio, borracha de silicone ou ainda de fibra de vidro.

Para se produzir peças pequenas, moldes de borracha de silicone ou mesmo de fibra de vidro, são as mais econômicas.

Para peças grandes, como uma caixa d'agua, o molde em fibra de vidro é mais indicado.

Nesse aspecto, deve ser feita uma análise econômica de vida útil do molde, pelo leitor, considerando seus objetivos, a quantidade e qualidade das peças a serem produzidas, uma vez que o molde se desgasta com a utiIização.

Importante ainda considerar os aspectos de desmoldagem da peça a ser produzida.

Com o molde pronto, siga os seguintes passos:

1- aplicação de cera desmoldante ou álcool polivinilico.

2- Se a peça for grande faça um polimento. Quanto melhor o polimento do molde, melhor será o acabamento.

3- Aplicação, com pistola se a peça for grande e manualmente para peças pequenas, de uma camada de 0,5 mm de "gel" ou "gelcoat", com catalisador.

4- Espere a secagem até o "tempo de toque" (tempo necessário para se encostar o dedo e não manchá-lo).

5- Aplicação da resina de laminação, também com catalisador, com pincel ou rolo de lã.

6- Aplicação da manta ou tecido de fibra de vidro, posicionado-as sobre o molde banhado com resina.

7- Passe um rolete para tirar bolhas de ar.

8-Dependendo da espessura desejada, da peça que esta sendo produzida, repita os passos 5, 6 e 7 , nessa seqüência. A espessura final da peça é proporcional a quantidade de camadas que forem aplicadas.

9- Desmolde a peça, utilizando cunhas e, para peças grandes, talvez seja necessário utilização de ar comprimido, cujas entradas devem ser previstas quando da confecção do molde.

10- Acabamento final, lixando, polindo, cortando as rebarbas, etc..., de modo a produzir uma peça com acabamento adequado ao produto proposto.

MATÉRIA-PRIMA

-manta ou tecido de fibra de vidro.

-Roving.

-tinner para limpeza das ferramentas, resinas, gel, gelcoat, catalisadores, cêras, álcool, e demais materiais necessários á produção de peças de fibra de vidro, são facilmente encontradas nas lojas dos distribuidores regionais.

-Basicamente são dois os fabricantes das mantas, tecidos e roving:

-OWENS CORNING.

-VETROTEX / DIV. STA. MARINA VIDRARIA.

INFRA-ESTRUTURA

Para se trabalhar com fibra de vidro, é necessário um galpão, bastante ventilado, em vista do cheiro exalado pela resina, que durante o manuseio, é inflamável e muito forte.

Outras ferramentas também são importantes como:

-lixadeira.

-Vasilhames para se fazer as misturas.

-Dosador para formulação dos produtos e resinas, utilizado conforme indicação do fabricante.

-Pincéis e rolos de lã.

-Rolete para tirar bolha de ar.

-Pistola aplicadora de gel.

-Picotador de roving.

-Para proteção do pessoal, é importante a utilização de máscaras de proteção dos olhos e filtro de ar para a respiração.

-E o mais importante, o molde do objeto que se deseja produzir.

ASPECTOS ECONÔMICOS/COMERCIAIS/GERENCIAIS

O consumo de peças em fibra de vidro tende a crescer, em função do preço e das facilidades de se trabalhar com esse produto em relação a outros, obtendo-se resultados muitas vezes, bastante vantajosos economicamente, isto é, produtos mais baratos.

Para se trabalhar com esse material, em vista da enorme quantidade de possibilidades que se apresentam, é importante ao pequeno empresário tentar descobrir um nicho de mercado ainda não explorado, onde possa se desenvolver com mais facilidade.

Visualizar alguns objetos muito usados em sua região, que podem ser produzidos em fibra de vidro, a um preço menor ou com um diferencial altamente competitivo e interessante para o consumidor, é o caminho a seguir.

A fibra de vidro é um dos produtos que permite o desenvolvimento da criatividade do micro e pequeno empresário.

ASPECTOS LEGAIS

Para se trabalhar com fibra de vidro, além das autorizações comuns, como prefeitura, estado, CGC, etc..., é muito importante obter-se a autorização da CETESB (Companhia Tecnológica de Saneamento Ambiental).

Considerar que pode haver algumas requisições especiais dos bombeiros, uma vez que o produto é inflamável.

Essas requisições dependem basicamente do local e do estado do galpão onde o produto vai ser produzido.


 

CONSERTOS

MATERIAL NECESSÁRIO:

 

- Resina de Poliester Cristal
- Catalizador, para acelerar a secagem da resina
- Monômero de estireno para diluir a resina se estiver engrossando
- Parafina em pó
- Lixa Ferro nº 100
- Lixa d'agua nº 320 e nº 500
- Fita crepe
- Recortes de Manta (tecido)
- Recipiente para misturar a resina
- Palito para misturar -(ideal picolé)
- Pedaço de pano para limpeza
- Solvente
 
COMO PREPARAR A RESINA:
 
- Prepare a resina em um recipiente com, 25 ml de resina e 5 gotas de catalizador, misture até o catalizador sumir.
- Seja rápido, pois a resina endurecerá em 15 minutos, e você pode ter desperdício de material.
- Coloque um pouco de resina no lugar a ser remendado, aplique o tecido e em seguida bote mais resina até o tecido 
desaparecer.
- Deixe secar, quanto mais tempo mais resistente o conserto fica.
 
CONSERTANDO: 
 
- Limpe bem a área a ser trabalhada, seca, sem poira e livre cola de fita tape.
- Lixe bem com a lixa ferro grossa arranhando bastante sobre e em volta da área a ser consertada.
- Em volta da área do conserto cole fita crepe para não escorrer resina e delimitar a área.
- Recorte o tecido dois dedos a mais de cada lado do reparo.
- Se o conserto for buraco no fundo, faça uma papa de tecido desfiado com resina para completar a área que será 
remendada.
 
ACABAMENTO 
 
- Lixe agora com a nº 320 até a resina recém aplicada no conserto, ficar nivelada.
- Dissolva uma colher de sopa de parafina em pó em 100ml de monômero.
- Dê o banho final com a mistura, deixe secar e lixe com a lixa d'agua fina - nº 500 até deixar o acabamento perfeito.